Entidade

sindicalismo é uma corrente que defende a importância de fortalecer os sindicatos para defender a classe trabalhadora. Antes dos sindicatos, já haviam outras formas de associação entre trabalhadores de um mesmo ramo ou ofício. As sociedades de socorro e auxílio mútuo tinham por objetivo prestar assistência aos trabalhadores e suas famílias em momentos de dificuldades.

Com o avanço da Revolução Industrial e o desenvolvimento do capitalismo, grandes massas são expulsas do campo e de seus antigos empregos, compondo uma nova classe social: o proletariado. Essa classe encontra condições de vida precárias nas novas cidades e não conta com nenhum tipo de proteção no âmbito do trabalho. As fábricas do século XIX eram um ambiente terrível para os trabalhadores, que cumpriam uma jornada, em média, de 14 a 16 horas diárias a troco de um salário miserável. As condições eram insalubres, havia muitos acidentes de trabalho e era comum o uso de mão de obra infantil (a partir do 6 anos de idade) e a aplicação de punições físicas aos trabalhadores considerados menos produtivos ou indisciplinados.

Os sindicatos surgem pela necessidade de conquistar melhores condições de trabalho e salários mais justos. Historicamente, a principal ferramenta de luta do sindicalismo tem sido a greve.  A interrupção momentânea do trabalho mostra a importância dos trabalhadores para a geração de riqueza - ou para o próprio funcionamento da comunidade - e é um instrumento efetivo de pressão, responsável por uma série de conquistas no campo trabalhista.

A despeito da Constituinte de 1988, esta visou estabelecer um regime de efetiva democracia sindical, ao proclamar a liberdade de associação; ao proibir a intervenção do Estado na concessão de autorizações prévias para a fundação de sindicatos; ao garantir a autonomia das entidades de classe; ao conceder ao sindicato amplo poder de representação; e assim por diante, deve-se, no entanto, evidenciar que o diploma de 1988 esbarra em duas normas obsoletas adotadas sob a égide da organização do sindicalismo oficial, que afrontam a democracia sindical pretendida pelo artigo 8º da Constituição Federal de 1988, sendo algumas:

a)    unicidade sindical, prevista no inciso II do artigo 8º da Constituição Federal de 1988;

b) contribuição sindical, prevista no inciso IV, do artigo 8º da Constituição Federal de 1988, além de estar configurada nos artigos 578 e seguintes da Consolidação das Leis do Trabalho, que apesar de não ser imposta é admitida pelo Constituinte.

O Sindicato dos Empregados nas Empresas de Asseio, Conservação, Limpeza Publica e Ambiental, Coleta de Lixo e Similares do Estado de Goiás - SEACONS surgiu a princípio com a forma de uma Associação - Associação Profissional dos Empregados de Empresas de Asseio e Conservação do Estado de Goiás - fundada em 1979, com sede à Rua 66 no Centro, desta Capital, a partir de uma Assembléia Geral, onde foi eleita a Diretoria e definidos os cargos de cada membro da chapa eleita.

Com o passar do tempo viu se a necessidade de transformação, passando-se de Associação para Sindicato - Sindicato dos Empregados de Empresas de Asseio e Conservação do Estado de Goiás, ocorrido em 1981, após essa mudança a sede passou a funcionar à Avenida Goiás no Centro desta Capital, com a aprovação perante a Assembléia Geral registrada em ata, a alteração no Estatuto e preenchidos todos os quesitos necessários para que ocorresse dentro da legalidade a aludida transformação, com o objetivo de defender e resguardar os direitos trabalhistas, assim como conquistar benefícios para os trabalhadores abrangidos pela representatividade da entidade.

Por fim o SEACONS após algumas mudanças de endereço encontra-se situado, em sede própria, à Alameda Botafogo, nº 176, Centro desta capital, a mais de 20 anos.

Diante das mudanças na legislação, no cotidiano do ambiente de trabalho dos representados, houveram diversas alterações tanto no que tange as normas previstas nas Convenções Coletivas de Trabalho e/ou Acordos Coletivos de Trabalho, como no trabalho exercido pelo sindicato para com seus representados/associados, sempre no intuito de aprimorar e agregar novas formas de atender e beneficiar da melhor forma possível aqueles que são representados por esta entidade.

Seguindo sempre em busca de melhorias na qualidade de vida dos trabalhadores abrangidos pela categoria que esta entidade representa, o SEACONS passou por muita luta contra a desigualdade existente quando se trata da relação Empregado x Empregador, não sendo tolerados conluios que prejudiquem a parte mais frágil desta relação que é o trabalhador, e dessas lutas seguimos com satisfação de muitas vitorias, conquistas desfrutadas pelos representados da categoria de Limpeza e Conservação.  

"Sindicalizar é somar forças objetivando conquistas"